domingo, 20 de maio de 2007

O erro

Vou abrir um parêntese com essa postagem. Não vou falar acerca da História e suas muitas teorias.
Falarei sobre uma coisa comum, simples. O erro.
Todos erram o tempo inteiro, erros grandes, pequenos, aceitáveis, passíveis de correção ou não quando se perde muito com o equívoco. O erro é uma coisa dolorosa pra todos, dói em que sofre as conseqüências, dói em quem errou e é duro pra quem assiste ao momento de infelicidade. O erro é quase imbatível, é um rei em seu trono de arrogância e tem como rainha a mágoa. A mágoa age de forma a manter o erro ecoando através do tempo, ajuda a perpetuá-lo. O erro, ou sua remanescência mantida pela mágoa, conseguem fazer de alguns sorrisos, lágrimas; de alguns amores ódio, de alguns dias, noite. Mas tudo que é grande tem um ponto fraco e o ponto fraco do erro é coexistir com a mágoa. Um não vive sem o outro, sendo que a mágoa é uma defesa do erro que, uma vez rechaçada, o deixa exposto às armas do perdão. O perdão verdadeiro é uma arma infalível contra a mágoa e o erro. Ele perfura a pele dura da incompreensão fortalece a vida e sua beleza; o mundo passa a ser outro.
O perdão, todavia, não é fácil ou simples de encontrar como o erro. O perdão só vive em corações puros e fortes e mesmo nestes, talvez leve anos para se manifestar frente às forças do erro.
Manifestar o perdão é uma virtude, uma virtude de poucos.

2 comentários:

Juliana disse...

O erro realmente faz parte da existência humana, e é através dele que temos a oportunidade de nos tornarmos melhores.
E o perdão... você não poderia tê-lo descrito melhor.A predisposição ao perdão é um sentimento que devemos ter em nossos corações.Pois se Deus, em sua perfeição é capaz de nos perdoar pelas maiores atrocidades, quanto mais nós humanos(que erramos a todo instante)negaremos perdão uns aos outros?!

Anderson disse...

Oi Natal, tudo bem?
O post Apresentações me serviu muito para fundamentar uma postagem em meu blog. Obrigado.
Grande abraço.