segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Pirataria e Promoção! And the Dvd goes to...


Não foram muitas respostas, mas fiquei muito contente com o nível das que chegaram. E fico feliz em publicar nesse blog com a certeza de uma certa interatividade que rompe a barreira estadual. Esse projeto, ao lado do DireitoFacimp, não pretende lucratividade ou coisa do tipo. A intenção aqui é pura e simplesmente difundir, interagir e aceitar novas idéias. A cidade em que vivo - assim como a imensa maioria das cidades do país - passa por centenas de tragédias todos os dias e acredito que tudo isso esteja ligado à educação ou à falta dela.

Essa é uma iniciativa pessoal que já está conseguindo adeptos; pessoas como Cairo Noleto:

"Por que você compraria ou não uma pirataria?"


Vou responder a pergunta indiretamente, eu sou a favor de uma política econômica mais justa.
Infelizmente, os altos juros mostram que mesmo assim, o investimento internacional industrial no nosso país não recebe a infra-estrutura necessária para a criação no Brasil de produtos que possam concorrer internamente com produtos internacionais.
Na área da informática (minha área) existe uma taxa de importação, fora juros de deslocamento entre estados, entre outros, de 60% sobre o valor do produto. Seria uma taxa justa, para incentivar a industrialização se, eu digo se, o Brasil fabricasse estes produtos.
Um produto que é fabricado aqui, e que por conta da alta taxa de juros e custos, sai mais caro do que o mesmo feito em outro país são os carros. Uma matéria no invertia (Site do Terra) mostrou no ano passado os carros mais baratos do mundo, entre eles estavam um Uno Mille, que era vendido por menos de U$ 6000, sendo aqui no Brasil, sendo o mesmo vendido por um pouco mais de R$ 22 000 (Mais de 3 vezes mais se considerarmos a taxa cambial de R$ 2,00 por U$ 1,00).
E o que tudo isso tem haver com a pirataria?
A pirataria não é mais do que o próprio reflexo dessa política. Um filme em DVD, em lojas online como a amazon, custa de U$ 5 até U$ 15, e considerando a taxa de importação, saem menos ou pelo mesmo preço dos produtos nacionais. Eu prefiro tomar como comparação livros, o livro no Brasil é muito caro, chegando a diferenças de 100 até 200% entre os custos internacionais dos nacionais.
Por isso reafirmo, sou a favor de uma política econômica mais justa.


Cairo Noleto, Teresina PI.




Meus parabéns pela organização das idéias Cairo. Seu prêmio está a caminho.



6 comentários:

Cairo Noleto disse...

Aeeee :D

Eu não pensava q ia me sair tão bem, IHAEoaHEOiAHEHAOEA, e estou aguardando aqui :D

marcelolobo disse...

bela resposta..
assino em baixo.
Eu particularmente, sou a favor da compra de músicas via internet que saem bem mais barato, com tantas tecnologias de reprodução de áudio como mp3 player's, celular com mp3, etc.. nem se usa mais tanto cd...
até porque, quem passa boa parte do tempo na frente do computador (como eu), prefere ter as músicas na "ponta " do dedo..hehe
Por isso acho que os preços das músicas vendidas via internet são bem mais justos...

Cairo Noleto disse...

Chegou, e já escutei de todas as formas possiveis e imaginaveis... =D
Muito obrigado!!
Abração!

Bdeo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tuka blog disse...

com preços tão elevados e inviáveis, o jeito é apelar pra pirataria, infelizmente...

Anônimo disse...

Valeu cara! ta bom demais este teu blog, tire so as fotos e postt um comentario sobre a carta aberta...